2005/07/31


Madonna with Child by alisss

O Filho do Homem

O mundo parou
A estrela morreu
No fundo da treva
O infante nasceu.
Nasceu num estábulo
Pequeno e singelo
Com boi e charrua
Com foice e martelo
Ao lado do infante
O homem e a mulher
Uma tal Maria
Um José qualquer.
A noite o fez negro
Fogo o avermelhou
A aurora nascente
Todo o amarelou.
O dia o fez branco
Branco como a luz
À falta de um nome
Chamou-se Jesus.
Jesus pequenino
Filho natural
Ergue-te, menino
É triste o Natal.
*
Vinicius de Morães

Photo by Ian Cameron

Photo by Graeme White

Photo by Gail Harland

Photo by Erik Varga

Como os americanos descontraem os seus militares - Photo by Dziedzic

Al(chemist) Pacino by koosricardo

Photo by John Faiclough

Photo by Gillian Evans

Photo by Don Withey

Photo by Simon Allen

É assim que te quero, amor

É assim que te quero, amor,
assim, amor, é que eu gosto de ti,
tal como te vestes
e como arranjas
os cabelos e como
a tua boca sorri,
ágil como a água
da fonte sobre as pedras puras,
é assim que te quero, amada,
Ao pão não peço que me ensine,
mas antes que não me falte
em cada dia que passa.
Da luz nada sei, nem donde
vem nem para onde vai,
apenas quero que a luz alumie,
e também não peço à noite explicações,
espero-a e envolve-me,
e assim tu pão e luz
e sombra és.
Chegastes à minha vida
com o que trazias,
feita
de luz e pão e sombra,
eu te esperava,
e é assim que preciso de ti,
assim que te amo,
e os que amanhã quiserem ouvir
o que não lhes direi, que o leiam aqui
e retrocedam hoje porque é cedo
para tais argumentos.
Amanhã dar-lhes-emos apenas
uma folha da árvore do nosso amor, uma folha
que há-de cair sobre a terra
como se a tivessem produzido os nosso lábios,
como um beijo caído
das nossas alturas invencíveis
para mostrar o fogo e a ternura
de um amor verdadeiro.
*
Pablo Neruda

Photo by Ian Mills

Photo by Iain Gartshore

Photo by Derek Doar

Photo by David Osborn

Photo by David Osborn

Photo by David Cantrille

Photo by Darren Emanuel

Photo by Colin Smith

Photo by Chris Stock

2005/07/30


Photo by Gordon W

Photo by Caroline Borba

Photo by Caroline Borba

Sorriso da Baia - Photo by Olga Gouveia

O teu riso

Tira-me o pão, se quiseres,
tira-me o ar,
mas não me tires o teu riso.
Não me tires a rosa,
a lança que desfolhas,
a água que de súbito brota da tua alegria,
a repentina onda de prata que em ti nasce.
A minha luta é dura
e regresso com os olhos cansados
às vezes por ver que a terra não muda,
mas ao entrar teu riso sobe ao céu a procurar-me
e abre-me todas as portas da vida.
Meu amor,
nos momentos mais escuros solta o teu riso
e se de súbito vires que o meu sangue mancha as pedras da rua,
ri, porque o teu riso será para as minhas mãos como uma espada fresca.
À beira do mar, no outono,
teu riso deve erguer sua cascata de espuma,
e na primavera, amor,
quero teu riso como a flor que esperava,
a flor azul, a rosa da minha pátria sonora.
Ri-te da noite, do dia, da lua,
ri-te das ruas tortas da ilha,
ri-te deste grosseiro rapaz que te ama,
mas quando abro os olhos e os fecho,
quando meus passos vão,
quando voltam meus passos,
nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas nunca o teu riso,
porque então morreria.
*
Pablo Neruda

Photo by Nacho Calonge

Photo by Don Withey

Photo by Christian Wilkinson

Photo by Chris Forster

Humor do dia

Photo by Celia Mannings

Photo by Celia Mannings

Photo by Carl Thomson

Photo by Breta Jeram

A fantastic photo

Artist Keith Harris

Artist Heighton

Photo by Craig Oddy

Mulheres

Elas sorriem quando querem gritar.
Elas cantam quando querem chorar.
Elas choram quando estão felizes.
E riem quando estão nervosas.
Elas brigam por aquilo que acreditam.
Elas levantam-se para injustiça.
Elas não levam "não" como resposta quando acreditam que existe melhor solução.
Elas andam sem novos sapatos para suas crianças poder tê-los.
Elas vão ao medico com uma amiga assustada.
Elas amam incondicionalmente.
Elas choram quando suas crianças adoecem e se alegram quando suas crianças ganham prêmios.
Elas ficam contentes quando ouvem sobre um aniversario ou um novo casamento.
*
Pablo Neruda

Artist Beken of Cowes

Artist Guillaume Plisson

Photo by Michael Luedke

Photo by Graham Heywood

Photo by G Miles

Photo by Bob Brookfield

Photo by Bernard Rochard

Photo by Andrew Price

Photo by Alex Haggarty

2005/07/29

Se tu viesses ver-me

Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços...
Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus abraços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...
Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri
E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...
*
Florbela Espanca

Marrocos - Photo by Nacho Calonge

Honduras - Photo by Nacho Calonge

Guatemala - Photo by Nacho Calonge

Espanha - Photo by Nacho Calonge


As grandes ideias são aquelas nas quais a única coisa que nos surpreende é que não nos tivessem ocorrido antes. (Noel Clarasó) - A inspiração existe, mas tem de te encontrar a trabalhar. (Picasso) - Aquilo que guia e arrasta o mundo não são as máquinas, mas as ideias. (Victor Hugo) - Penso 99 vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho no silêncio - e eis que a verdade se revela! (Einstein) - Nos momentos de crise, só a inspiração é mais importante que o conhecimento. (Albert Einstein) - A ideia que não procura converter-se em palavra é uma má ideia, e a palavra que não procura converter-se em acção é uma má palavra. (Chesterton) - A criatividade consiste apenas em perceber o que já esta lá. Sabia que os sapatos direito e esquerdo só foram inventados há pouco mais de um século? (Bernice Fitz-Gibbon)

Publipt - Publicidade na Internet


Traffic analyzer


MySpace Layout Codes

Get Free Shots from Snap.com